Na última quarta-feira, Dia das Crianças, acordei bem cedo e fui à pracinha próxima de casa buscando tão somente espairecer. Havia pouca gente, como era esperado, mas três pessoas da dita Terceira Idade chamaram-me atenção. Pela aparência já passavam dos sessenta. Os três homens, sem se importaram com a minha presença e a do guarda da praça, corriam tanto quanto podiam empinando seus papagaios de papel. Desviando das poucas árvores, buscavam as áreas livres, vibrando a cada pinote que as pipas davam buscando o céu. A brincadeira durou uma meia-hora. Depois, os velhinhos sentaram-se no chão colocando um maço de figurinhas à sua frente e começaram o chamado jogo do bafo. Com a mão em concha, batiam no pequeno monte de figurinhas que, devido à pressão, viravam e eram recolhidas pelo jogador. Depois de mais meia-hora, tiraram de suas mochilas três bilboquês. Mais uma disputa ruidosa e feliz. Aí, bateu cansaço. Mas os velhinhos não pararam, não! Sentaram-se num banco e começou a disputa do par ou ímpar. Seguiu-se o jogo dos palitinhos em que cada participante tinha que adivinhar quantos havia nas mãos do parceiro com quem jogava.

            Foi nesse ponto que não aguentei e meu espírito curioso de repórter falou mais alto. Aproximei-me do grupo e perguntei o porquê de tanta vibração. Um dos idosos respondeu:

            - Hoje é o Dia das Crianças e nós simplesmente estamos matando saudades de nossa infância. Você viu quantos jogos divertidos e saudáveis as crianças de nosso tempo praticavam? Curtíamos mais a vida! Subíamos em árvores, pulávamos corda e por aí vai. Hoje, as crianças estão mais paradas e só se divertem com um celular nas mãos. Não sei como não têm tendinite de tanto acessar as teclas dessas engenhocas eletrônicas. Viemos aqui hoje para nos divertir e mesmo mostrar à essa nova geração que são muito mais saudáveis os brinquedos de outrora.

            - Mas então vocês são contra a tecnologia e a modernidade?, arrisquei.

            - Absolutamente, respondeu-me outro velhinho. Apenas achamos que tudo deve ser bem dosado. A criança não deve deixar de lado o celular ou o computador, mas usá-los com disciplina. No nosso tempo, brincávamos somente depois de cumprirmos nossos deveres escolares e familiares. Tudo tem sua hora...

            Dito isso, já cansados, mas extremamente felizes, os idosos se despediram de mim e, montando cada qual em sua bicicleta Monark, das antigas, partiram em busca de seus lares...

София plus.google.com/102831918332158008841 EMSIEN-3
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • 34
  • 35
  • 36
  • 37
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
  • 44
  • 45