Cilmar Machado

Cilmar Machado

O radialista Cilmar Machado escreve toda terça-feira neste espaço. O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

cilmar

RIR É O MELHOR REMÉDIO...

Nesses tempos bicudos em que estamos vivendo parece que as notícias dos jornais se tornam mais ácidas, negativas e até depressivas. São os escândalos financeiros do Mensalão, do Petrolão, as prisões de políticos de comportamento até então tido como ilibado, os crimes, os roubos, os assassinatos, enfim. É muita desgraça que envolve nosso cotidiano.

                Talvez por isso, o leitor esteja ansioso por ler amenidades e coisas engraçadas, que o ajudem esquecer um pouco a rotina tão deprimente que vive no seu dia-a-dia. Cabe a nós cronistas, tão deliciosa missão. Hoje, por exemplo, trago a contribuição do meu amigo Ederson Milanezi, que muita gente conhece por ter dirigido por muitos anos as então procuradíssimas Bancas Ban-Ban. Lembram-se? Hoje, ele reside em Cascavel, no Paraná, mas jamais se esqueceu de sua Lins. O Ederson está preocupado com a qualidade do leite que bebemos, seja de caixinha, saquinho ou mesmo no litro de vidro. Comunga com o justificado empenho da Anvisa (Agência Nacional de Vigilância Sanitária) que está muito preocupada com o abuso dos processadores de leite no Brasil, adicionando, dentre outras coisas, água oxigenada, soda cáustica e até formol.

                Sabe-se que a ANVISA tem seus próprios métodos para detectar tais produtos misturados ao leite, mas nós consumidores, como fazermos para medirmos a possibilidade da presença de tais elementos no produto que levamos para nossas casas? Existe alguma coisa a respeito?  São perguntas que os pais em especial fazem, preocupados com a saúde própria e de seus filhos.

                 O Milanezi nos passa um teste simples para sossegar de vez os que consomem leite todos os dias. Eis como fazer:

                Para saber se o leite tem água oxigenada, soda cáustica ou formol em sua composição:

* Beba um copo de leite bem cheio e sem açúcar à noite, antes de dormir.

 * Durante a noite, se tiver vontade de peidar, peide à vontade.

* Pela manhã, pegue um espelho e focalize seu bumbum. Aí, preste bem atenção nos seguintes detalhes:

 * Se os pelos estiverem loiros, você tomou leite com água oxigenada.

* Se não tiver pelo nenhum, você tomou leite com soda cáustica.

* Se tiver lisinho, como escova progressiva, aí você tomou leite com formol.

Simples e prático, não?...  

DOM JUAN DA INTERNET...

Fico abismado como pode ainda alguém cair na lábia de um autêntico Dom Juan do mal que age conquistando a mulherada pelos canais de relacionamento da internet. A notícia é recente, publicada no conceituado jornal Correio Braziliense, do último dia 16. Vamos aos fatos:

Um grupo de mulheres se uniu para denunciar um estelionatário amoroso de 48 anos que já fez mais de 30 vítimas por todo o país: três delas no Distrito Federal, uma em Formosa (GO) e outra no Novo Gama (GO). Além de procurar a polícia e orientar outras mulheres que tenham caído na lábia do farsante, elas denunciam em uma rede social os cerca de 18 perfis que o homem mantém e as fotos que ele coloca em aeroportos do Brasil à caça de novas reféns. Para ludibriar as pretendentes, o golpista se diz oficial do Exército Brasileiro, lotado na Agência Brasileira de Inteligência (Abin), ou policial federal cedido ao órgão. Com perfil inteligente e sedutor, ele conta ser formado em psicologia e economia, com pós-graduação em marketing. Ele segue um padrão: adiciona as pretendentes — todas entre 35 e 50 anos, com vida estável e poucos filhos — e inicia a conversa. Mostra-se interessado pelos mesmos gostos das vítimas, revela ser instrutor de tiro e paraquedista. Galanteador, promete casamento e uma vida cheia de sonhos. Quando percebe o completo envolvimento, o golpista coloca em prática as farsas: cria problemas de saúde e pede dinheiro.

Em agosto de 2014, uma professora universitária de 40 anos moradora do Cruzeiro, em Brasília, conheceu o homem pela internet. A primeira saída ocorreu em janeiro de 2015. Para conquistá-la, ele passou a frequentar a mesma igreja da vítima. “Ele era simpático, bonito e envolvente. Andava perfumado, bem-vestido, dizia ter uma cobertura em Águas Claras e um apartamento na 210 Norte.”.  Para extorqui-la, o golpista inventou que o pai precisava passar por uma cirurgia e ser transferido para São Paulo. A professora, então, vendeu o carro por R$ 50 mil e entregou todo o dinheiro ao homem, com a promessa de devolução. Ajudou com mais R$ 25 mil e custeou a hospedagem dele. Ainda pediu demissão do emprego porque ele a convidou para um falso projeto de segurança em uma empresa aérea.

                O Dom Juan golpista tem sete filhos que são frutos de relacionamento com vítimas. Não paga pensão alimentícia por recusa das ex-companheiras, que sabem da existência do golpe. Uma das primeiras vítimas foi uma autônoma de 35 anos, de Formosa (GO), em outubro de 2012. Em 15 dias, pediu a mulher em noivado. Em 2013, ela engravidou, mas um mês depois perdeu o bebê em aborto espontâneo. Ela deu ao golpista, ao todo, R$ 20 mil. “Ele sempre tinha uma estratégia para abordar as mulheres e tocar no ponto em que cada uma sente necessidade”, contou. Quando descobriu a farsa, a mulher recebeu ameaças. Em 10 de dezembro do ano passado, a 1ª Vara Criminal da Comarca do Tribunal de Justiça de Goiás de Formosa expediu medida protetiva em favor dela. “A minha força, agora, é lutar para que nenhuma vítima caia nesse golpe.”

                A titular da 3ª DP de Brasília, delegada Cláudia Alcântara, explicou que entrou em contato com a Polícia Civil de Fortaleza para pedir mais informações e vai instaurar inquérito. A titular da Deam, delegada Ana Cristina Santiago, explicou que, em 2009, uma das vítimas registrou ocorrência na unidade policial. O inquérito foi concluído em 2011.

                Que a mulherada fique alerta contra esse e outros internautas estelionatários de corações femininos...

LINS BOÊMIA...

Em minha juventude, vivi uma época totalmente diferente da dos dias de hoje. E não poderia deixar de ser assim, não é? Foram, no entanto, tempos galantes embora de manifestação velada. A sociedade era fechada e a moral rígida devido a uma religiosidade castradora e policialesca. Falar-se em sexo fora do casamento era tido como pecado mortal. Sequer se concebia o que hoje se chama de amizade colorida, rolo, ficante e por aí vai. Mas, entre os homens da época, sempre havia um jeitinho de se cair nos braços de uma mulher além da titular ou oficial...

Muitos dos casados e outros insatisfeitos com a vida matrimonial viviam uma vida de dupla moral. Achavam que, se provessem o lar com tudo que lhe fosse necessário, poderiam até dar-se ao luxo de manter um amor paralelo, em busca do prazer e realização de suas fantasias sexuais. A esposa, a rainha do lar, mesmo sabendo dos ¨pulos¨ de cerca dados pelo marido, permanecia calada e submissa, pois ele lhe dava o necessário para o sustento da casa e dos filhos.

A grande maioria dos homens do chamado ¨povão¨ frequentava a então Zona do Baixo Meretrício (ZBM), que inicialmente funcionava na rua Diabase, no Rebouças. Depois, por indicação do vereador à época Nelson Mota (já falecido), no tempo do primeiro mandato do Dr. Rubens Furquim (1964-1969), mudou-se para um local distante, lá para os lados da estrada Lins-Sabino (hoje, Vila São João), onde funcionou até meados da década de 90, quando foi fechada pelas nossas autoridades. Aliás, seu final já de sentia com a crescente libertação sexual feminina e o funcionamento de vários motéis na estrada Lins-Guaiçara.

A fina flor da sociedade, a chamada classe dos endinheirados e coronéis do café e da pecuária, frequentava locais galantes mais sofisticados como o famoso Bar Artioli e a Cantina Joari, ambos não mais em atividade. O Bar Artioli funcionou por várias décadas, desde 1945 (auge da cultura do café), na 7 de Setembro, esquina com a Floriano Peixoto, próximo à atual Câmara Municipal. A Cantina Joari exercia suas atividades na 15 de Novembro, onde hoje está instalado o Banco Itaú.

Velhos tempos em que a vida boêmia existia em sua total plenitude em nossa cidade. Talvez nos dias de hoje a chamada boemia tenha adquirido novos contornos a serem lembrados e cantados no futuro, pois hoje e sempre o Amor está no ar!...

SER GENTIL...

Muitos dizem que no mundo atribulado de hoje não há lugar para gentilezas. Na luta pelo dia-a-dia, o ser humano parece haver se esquecido de ser até mesmo educado para com o próximo, seja ele homem ou mulher. Entre os homens, em sua maioria extremamente machista, manifestar gentileza é coisa de boiola. Com isso os relacionamentos se tornaram mais áridos e vazios. Complacência, tolerância e até mesmo amor ao próximo parecem ter sido banidos no comportamento do homem moderno. Nossa colega jornalista Martha Medeiros (jornais Zero Hora e O Globo), a exemplo de muitos de nós, não se conforma com isso e chega a listar uma série de atos elegantes, que apesar de esquecidos, se revividos fossem poderiam tornar mais amena e feliz a vida de todos nós. Eis o que ela proclama:

                ¨ Oferecer flores é sempre elegante.

É elegante não ficar espaçoso demais.

É elegante você fazer algo por alguém e este alguém jamais saber o que você teve que se arrebentar para o fazer.

É elegante não mudar seu estilo apenas para se adaptar ao outro.

É muito elegante não falar de dinheiro em bate-papos informais.

É elegante retribuir carinho e solidariedade.

É elegante o silêncio, diante de uma rejeição.

Sobrenome, joias e nariz empinado não substituem a elegância do gesto.

Não há livro que ensine alguém a ter uma visão generosa do mundo, a estar nele de uma forma não arrogante.

É elegante a gentileza; atitudes gentis falam mais que mil imagens.

Abrir a porta para alguém? É muito elegante.

Dar o lugar para alguém se sentar? É muito elegante.

Sorrir, sempre é muito elegante e faz um bem danado para a alma.

Oferecer ajuda? Muito elegante.

Olhar nos olhos ao conversar? Essencialmente elegante.¨

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

SER GENTIL...

UMA SOLUÇÃO CASEIRA...

Todo governante está sujeito a críticas e o prefeito Edgar não é exceção. Mas seu espírito de luta pelo desenvolvimento de Lins é incontestável. Agora, anuncia que enviará à Câmara pedido de autorização para a venda do terreno junto à Rodoviária, no local onde se armam circos e parques que aqui se instalam temporariamente. Já havia tentado anteriormente fazer essa venda, alegando à época, que utilizaria o dinheiro obtido com a transação no asfaltamento de nossos mais distantes bairros. Sua pretensão, no entanto, foi rejeitada pela maioria da Câmara dos vereadores, sob a alegação de que a cidade perderia um belo patrimônio, pois o asfaltamento pretendido seria como jogar dinheiro fora, pois iria se deteriorar com o passar dos anos.

O prefeito volta à mesma ideia mudando, no entanto, a destinação do dinheiro que vier a obter com a venda do citado terreno. Será para a construção das arquibancadas de concreto e outras obras a serem realizadas no Estádio Municipal Gilberto Siqueira Lopes, atendendo com isso a Federação Paulista de Futebol, que exige tais melhorias no Gilbertão, para que o Linense possa mandar seus jogos em Lins no Campeonato do ano que vem. O projeto do prefeito abrigará ainda, no vão traseiro da arquibancada (que será para 2.500 pessoas), uma academia de artes marciais, o que constitui antiga e sonhada reinvindicação de seus praticantes. Com isso, matam-se dois coelhos com uma só cajadada.

                Penso ser essa ideia passível de acolhida pela Câmara, pois não se trata mais da perda de um patrimônio (o terreno) e sim da aplicação de seu valor financeiro em outro patrimônio dos linenses (o Gilbertão). Seria uma agregação e não perda, pois o chamado campo do Linense é da Prefeitura.  Se ficar com o terreno junto à Rodoviária, terá o município suporte financeiro para em lá construir algo, se não tem dinheiro sequer para a reforma do Estádio? O Prefeito tentou um empréstimo em longo prazo (20 anos, com dois de carência) e não conseguiu em consequência da crise financeira por que passa o país. Buscou os governos estadual e federal e, pelo mesmo motivo (falta de dinheiro), nada conseguiu. Então, viu-se na contingência de buscar uma solução caseira, razoável e criativa. A meu ver, se saísse o empréstimo nas condições propostas, seria muito mais pernicioso, pois teríamos uma dívida por longos 20 anos, sem se saber como será o nosso futuro econômico. Edgar estaria arriscando legar aos seus próximos quatro sucessores o que se convencionou chamar de ¨herança maldita¨.

                Pelo que sei, até quando escrevia esta crônica, a Prefeitura elabora um completo e detalhado projeto a ser enviado aos senhores vereadores. Espera-se pela acolhida e votação rápidas, pois o prazo para a abertura de Edital para a venda do terreno e depois da licitação para as obras é muito curto e precisa ser feito antes das eleições. Que os nobres edis deixem de lado as paixões e os interesses políticos e votem pelo bem e progresso de nossa cidade. O mérito de mais esta conquista pertencerá a todos, Executivo e Legislativo, e os munícipes saberão reconhecer isso quando forem às urnas na eleição que se aproxima...

ALVORADA FM...

Muitos me têm perguntado quando a Rádio Alvorada passará a operar em FM, deixando a faixa da chamada ondas médias nos seus 1080 Khz, desde sua inauguração (1962). Um velho sonho que em breve se concretizará, creio. O que está pegando é a burocracia imposta pelo Ministério das Comunicações que prevê um calendário envolvendo prazos e providências a serem observados pelas emissoras. No entanto, a Anatel (órgão regulador do sistema de radiodifusão nacional) tem atrasado a liberação de canais em nosso Estado devido ao aumento das rádios que se interessaram pela migração após o vencimento do prazo estabelecido, entrando tempestivamente com o pedido. Isso penalizou as emissoras que cumpriram todas as exigências burocráticas em seu devido tempo, e a Rádio Alvorada foi uma delas, fazendo com que se espere por uma nova distribuição de frequências. Pelo andar da carruagem, acredito que a migração venha a se concretizar somente no final de 2016 ou meados do próximo ano.

                Mas, apesar desse atraso, vale a pena. É um salto para a modernidade onde as rádios se tornarão mais competitivas e adequadas à tecnologia de nossos dias. No entanto, isso tem um preço bem salgado. Só a taxa a ser paga ao governo será superior aos 60 mil reais! Isso sem se falar da adequação da aparelhagem e novas instalações, estimadas entre 200 a 300 mil reais. É o preço da modernização. Fazer rádio no interior é um autêntico desafio. Espera-se por linhas de financiamento para que possamos encarar tais custos que se agigantam, notadamente em época de crise que ora o país vive.

                Uma vez instalada a FM, mais desafios nos esperam! O que apresentar aos ouvintes, que programação será vitoriosa? Tenho comigo que, em tempos da geração internet, a setorização, ou seja, a definição do público a ser servido, seja até uma questão de sobrevivência. A Rádio Alvorada, que sempre foi a emissora do povo, pretende dar sequência a essa linha de atuação, tendo uma programação totalmente voltada às populações da cidade e região. Queremos continuar identificados com o povo de nossa terra, buscando informa-lo e diverti-lo, observando seus gostos e preferências, usando sempre a linguagem que ele fala, entende e quer ouvir. É uma tarefa difícil, mas apaixonante, especialmente para quem faz o que gosta e tem o compromisso de honrar a radiodifusão brasileira, com um trabalho honesto e eficiente. Com isso, ganham nossos ouvintes e anunciantes. Essa é a meta.

NOVOS TEMPOS...

Amanhã, quarta-feira, será um dia decisivo na política brasileira. O Senado decide o afastamento ou não da presidente Dilma, após longo e demorado processo previsto na Constituição. Não discuto o mérito da questão deixando a cada leitor o direito de formar seu próprio juízo. Apenas ressalto que estamos vivendo realmente novos tempos onde a democracia está presente de forma plena. O povo observa, opina e discute abertamente os atos de seus governantes e os leva a prestar contas junto à sociedade. 

                Isso, para mim e muitos outros da chamada geração dos tempos da ditadura, é algo benfazejo e inusitado. Vivi uma época onde era passível de prisão qualquer manifestação contrária ao governo, que se mostrava duro, implacável e soberano. Votar era permitido apenas para a escolha do Prefeito da cidade e vereadores. A presença da mordaça às manifestações contrárias aos atos de nossos dirigentes maiores também se fazia presente no âmbito municipal, embora de forma menos rígida. O Prefeito reinava em seu município, com poucas vozes dissidentes na Câmara. A imprensa local - e eu fazia parte dela -, via de regra, apenas divulgava fatos e atos favoráveis ao Prefeito e, se algum jornalista ou radialista insistisse na crítica, era discretamente afastado ou despedido de seu emprego. Não havia o mecanismo da reeleição, mas os candidatos a chefe do Executivo eram sempre advindos da classe dominante na cidade. Com isso, os cidadãos não respiravam o ar benfazejo da renovação de seus representantes. Tempos difíceis aqueles!...

                Com a democracia e a expansão das redes sociais na internet, hoje de tudo se fala e tudo se comenta, de forma livre, aberta e sem censura. Também os representantes locais do povo estão mais vigiados e seus atos ganham maior divulgação e rápido julgamento. Os munícipes se tornaram mais partícipes e exigentes. Talvez por isso, as eleições que se avizinham prometem ser bastante disputadas. De um lado, o atual prefeito Edgar tentando a reeleição, e do outro, quem? Muito se especula, nomes são citados, mas até agora nada confirmados. Seria estratégia de campanha? Estariam esperando a convenção partidária? O que de novo poderia trazer um eventual candidato à Prefeitura?

                Neste ano, a meu ver, o povo só irá pensar nas eleições em cima da hora, ou seja, lá por agosto ou setembro, após as Olimpíadas. Será uma eleição a toque de caixa, onde os candidatos terão menor tempo para exporem suas ideias no rádio. Justamente por isso é preciso estar alerta e antenado em suas propostas. A história se repete, não é?...

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

UMA AULA DE CONTABILIDADE...

                Mais uma vez minha amiga Marise Lusvarghi, de Guapiaçu, nos brinda com uma verdadeira aula de contabilidade, o que é ótimo para nós leigos, que sempre procuramos por uma informação correta e cabal sobre as mais diferentes operações financeiras que fazemos no dia-a-dia. Ressalvo que, a autoria de tais definições não foi divulgada, mas presumo seja de um mestre. Caso ele se apresente, terei o maior prazer em citá-lo numa de minhas futuras crônicas. Que este CRÉDITO lhe seja antecipadamente assegurado. Confira comigo:

PARA QUEM NÃO ENTENDE NADA DE CONTABILIDADE, VAMOS EXPLICAR MAIS OU MENOS COMO FUNCIONA:


A solteira é....................... Crédito;
A casada é....................... Débito;
A cunhada é..................... Provisão para Devedores Duvidosos;
A bonita é........................ Lançamento Certo;
A feia é............................ Estorno;
A feia e rica é................... Conta de Compensação;
A bonita e rica é................ Lucro Certo;
A ex-namorada é.............. Saldo de Exercícios Anteriores;
A namorada é................... Resultado de Exercício Futuro;
A noiva é.......................... Reserva Legal;
A esposa é........................ Capital Integralizado;
A vizinha é......................... Ações de Outras Companhias;
A amante é........................ Empresa Coligada;
As que fazem operações plásticas são................ Obras e Benfeitorias;
As restantes são............................................... Obras em Andamento;
As que dão bola são.......................................... Incentivos Recebidos;
As que não são viúvas, casadas ou solteiras são....... Contas a Classificar;
As que muito namoram e não se casam são.............. Saldo à Disposição da Assembleia;
As que são surpreendidas em flagrante são.............. Passivo a Descoberto;
A sogra pode ser classificada como PREJUÍZO ACUMULADO.

                Agora, já sabendo tudo sobre operações financeiras, espero que lhe sobre dinheiro suficiente para poder vivenciá-las integralmente. Um abraço amigo aos contabilistas de nossa cidade, especialmente a minha querida Silvana Takada, que há anos persegue nossas operações financeiras, que não são muitas, mas dão-lhe imenso trabalho.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

A VOLTA DO MENESTREL...

Voltado à luta diária pela sobrevivência e ainda na conquista de seus ideais materiais, o homem comum chega a se perguntar pra que serve um poeta? Que produtivo pode ser alguém que apenas sonha e vive no mundo das quimeras? É um ser que não trabalha, dependente dos outros, portanto descartável...

                Ledo engano! Sonhar é preciso, já dizia uma velha canção portuguesa. Os poetas e escritores têm o dom inspirador que norteia os objetivos e a ação de toda humanidade. Exemplos há e muitos. Será que o homem chegaria às conquistas continentais se não houvesse sido influenciado pelo sonho de Júlio Verne, em sua obra ¨Cinco Semanas num Balão¨ (1863)? Brasília, nossa capital, teve por base uma visão de Dom Bosco a qual foi tornada realidade em 1960, por JK. No dia-a-dia, os poetas também falam de sonhos de amor, de espiritualidade, de generosidade, fonte inspiradora para a imensa maioria dos mortais.

                Feliz a cidade que possui seus poetas! Lins, não foge à regra e sente-se honrada com o retorno de seu querido menestrel Agmon Carlos Rosa, que após décadas daqui ausente ao nosso seio retorna. E vem com a corda toda, nos altos de seus 80 anos bem vividos. Seja bem-vindo, amigo e poeta, linense por adoção, carinho e inspiração...

                Eis uma pequena mostra de sua pena inspirada:

 

¨A VOLTA DO POETA!

               

O tempo esse desconhecido, onipresente,

                Passa por nós e emoções nos deixa!

                Século e milênio nos contemplam,

                Da partida e volta do poeta a terra

                Que nos viu nascer, crescer e amar!

                               A saudade que nos fez persistir,

                               Buscar lembranças, emoções vividas,

                               Amigos que um dia deixamos,

                               Amores que partiram e pranteamos.

                E não me constranjo de me sentir feliz,

                De amar a vida, tanto assim,

                LINS! Paixão a moda antiga,

                Deixei de ser ¨EU¨ para ser ¨NÓS¨!

                                               Agmon Carlos Rosa.

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

LINS, QUASE CENTENÁRIA...

Sempre que chegamos a mais um ano de vida temos a natural tendência por fazer um balanço do que se passou até então. No aniversário do município isso também ocorre e naturalmente retroagimos no tempo até quanto nos lembramos de pessoas e fatos que marcaram nossa Lins. Bem ou mal, contidos ou atirados, populares ou personalistas, eficientes ou não, na verdade, os prefeitos que por aqui passaram foram os construtores de nossa história. Talvez por isso e também pelo glamour que o cargo oferece, a corrida pela Prefeitura já está bastante movimentada. Opiniões, comentários e críticas são vistos nas chamadas redes sociais que se transformaram em autêntico fórum de debate popular. Ali, ex-Prefeitos são criticados ou louvados, nomes são sugeridos e até proclamados para ocupar o maior cargo da cidade. Mas, qual seria o Prefeito ideal? Que atributos deveria ter para levar Lins a maior progresso e desenvolvimento? A lista de exigências dos internautas eleitores é extensa e algumas beiram a utópica imagem de um autêntico super-homem! Sonhar não é pecado, como diria o poeta...

                A exemplo do que ocorre na vida de todo cidadão, cada prefeito é fruto de sua época. Sua atuação atende aos problemas mais prementes enfrentados pela sociedade de seu tempo. Não há muito o que inventar ou inovar. O prefeito faz aquilo que lhe permita a receita do município e as eventuais verbas que possa conseguir junto aos governos estadual e federal, mercê de seu Partido, prestígio e relacionamento político. Saber bem relacionar-se com todos é-lhe condição imprescindível, pois muitas vezes, o fracasso em se conseguir benefícios à cidade se deve à falta dessa qualidade no administrador. Portanto, acrescente-se na lista de atributos a serem exigidos dos eventuais candidatos, a capacidade de relacionamento, de diálogo, de convencimento. Um Prefeito que não se comunica com seus munícipes, vereadores e autoridades estaduais e federais, nos dias de hoje, estaria relegado a um isolamento pernicioso ao seu futuro político e ao município. Nenhuma cidade é uma ilha! Tivemos prefeitos tipo gerentão, isto é, ótimos para administrar a cidade e péssimos no relacionamento político. Outros houve que agiram exatamente ao contrário dando ênfase apenas à política, esquecendo-se da administração do dia-a-dia. O ideal está no meio termo. É preciso alguém que saiba sonhar, mas tanto quanto possível com os pés no chão. Neste ano em que o prazo para expor suas ideias no rádio será mais curto, o candidato a Prefeito necessitará se virar nos 30, como diria o Faustão, para se dar a conhecer e divulgar o que pretende fazer. Já antevejo o valor e a eficiência das redes sociais neste particular. O eleitor é preciso ficar atento e saber separar o joio do trigo.

Arrematando, ao comemorarmos os 96 anos de nosso município, constatamos no frigir dos ovos que Lins cresceu o tanto quanto podia nas três últimas décadas, mas poderia ser melhor. Estamos na base do ¨tá ruim, mas tá bão¨. Mas as esperanças não se esgotaram. Novas forças se movimentam neste ano eleitoral o que nos garante, quem sabe em breve, começar de novo...

O endereço de e-mail address está sendo protegido de spambots. Você precisa ativar o JavaScript enabled para vê-lo.

София plus.google.com/102831918332158008841 EMSIEN-3
  • 1
  • 2
  • 3
  • 4
  • 5
  • 6
  • 7
  • 8
  • 9
  • 10
  • 11
  • 12
  • 13
  • 14
  • 15
  • 16
  • 17
  • 18
  • 19
  • 20
  • 21
  • 22
  • 23
  • 24
  • 25
  • 26
  • 27
  • 28
  • 29
  • 30
  • 31
  • 32
  • 33
  • 34
  • 35
  • 36
  • 37
  • 38
  • 39
  • 40
  • 41
  • 42
  • 43
  • 44
  • 45